Em Fortaleza Greve da polícia já prejudica até enterros

Publicado no Jornal OTEMPO
Fortaleza. Parte dos funcionários do Instituto Médico Legal do Ceará (IML), ligados ao Sindicato da Polícia Civil, aderiu à paralisação da Polícia Civil do Estado nordestino, na manhã de ontem, em Fortaleza. Com a paralisação, iniciada na última terça-feira, alguns serviços prestados pela categoria estão paralisados, como o registro dos boletins de ocorrência. Foram afetadas 100% das delegacias do Estado. De acordo com o Sindicato dos Policiais Civis, durante a noite um grupo do Exército tentou invadir a praça onde os policiais estão acampados.O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no Ceará, Waldetário Monteiro, juntamente com representantes dos policiais civis, se encontrou com o procurador-geral de Justiça do Estado, Fernando Oliveira. Eles entregaram uma nova proposta, mais resumida, mas nada foi definido até a tarde de ontem.O principal ponto da reivindicação dos trabalhadores da Polícia Civil cearense é salarial. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário