Em greve há mais de um mês, professores infantis fazem nova manifestação em BH

OtempoOnline
Cerca de 250 professores infantis da rede municipal fizeram mais uma manifestação em Belo Horizonte. Nesta sexta-feira (13), os educadores ocuparam a avenida Alfredo Balena, próximo ao Hospital das Clínicas, na área hospitalar. Em seguida, os manifestantes seguiram em direção à porta prefeitura, na avenida Afonso Pena, no centro da cidade. Entre as reivindicações da categoria está a equiparação dos salários com os dos professores do ensino fundamental, elevando os vencimentos de R$ 1.030 para R$ 1.676 para aqueles com nível superior. A categoria está em greve há mais de um mês. De acordo com a BHTrans, os manifestantes ocuparam a avenida Afonso Pena, no sentido Mangabeiras, e os motoristas que passaram pelo local precisaram de paciência. O congestionamento chegou até a avenida Antônio Carlos, no sentido bairro. Por volta das 18h, o tráfego voltou a fluir na região.

Negociação
O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) negou no mês passado o recurso da Prefeitura de Belo Horizonte e manteve a greve dos educadores das Unidades Municipais de Educação Infantil (Umeis) da capital. O Executivo se recusa a negociar com os manifestantes por entender que um projeto de lei que tramita na Câmara Municipal já atende às solicitação dos educadores. Ainda cabe recurso.

A prefeitura argumentou que a greve "vem causando prejuízos irreparáveis às crianças e às famílias". Ainda solicitou a fixação de multa diária de R$ 100 mil caso os servidores não voltassem ao trabalho. Mas, segundo o desembargador Maurício Barros, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Rede Pública Municipal de Belo Horizonte (Sindrede-BH) tem cumprido as imposições da legislação sobre a greve, como a comunicação com antecedência mínima de 72 horas ao poder público.

Nenhum comentário:

Postar um comentário