Cansada de esperar, população assume reforma de delegacia

OtempoOnline
Não bastaram as queixas e as denúncias sobre a precariedade da segurança pública em Mirabela, no Norte de Minas, para que o poder público se prontificasse a solucionar o problema. Depois de 24 anos funcionando em uma casa em condições precárias e de se mudar provisoriamente para uma lanchonete desocupada, a delegacia de Mirabela terá, finalmente, uma sede de verdade. Mas o dinheiro e a mão-de-obra não vieram dos cofres públicos e, sim, da população, que resolveu assumir a responsabilidade para melhorar a estrutura da delegacia.

A nova sede começou a ser construída em fevereiro e está prevista para ser inaugurada no início de junho. Em cinco meses de obra, cada um contribuiu com o que pôde, trabalho ou material para a construção, que foi orçada em R$ 120 mil. "Nossa cidade havia caído em uma situação de abandono. Os crimes aumentaram de forma geral, os bandidos assaltavam comércios e aposentados. Como o governo não tomou uma providência, nós tivemos que tomar", disse o empresário Genovais Soares.
Segundo o empresário, o prefeito Laerdino de Menezes sabia da obra desde o início do projeto, mas não colaborou. "Fizemos mais de 30 reuniões, e ele não compareceu a nenhuma". Procurado, o prefeito não se pronunciou sobre o assunto. Sua equipe informou que ele estava em audiência e não poderia ser interrompido. Os moradores disseram que não querem a presença de políticos na inauguração da sede.

Insistência. E essa não foi a primeira ação da população para tentar resolver o problema. O delegado titular da cidade, Célio Nogueira, já havia pedido apoio aos empresários para providenciar um espaço digno para a polícia. "A burocracia impediu que o governo fizesse alguma coisa", disse.

No ano passado, Waldomiro Fonseca, também comerciante da cidade, participou de uma reunião na delegacia regional de Montes Claros para cobrar melhorias. Ele voltou sem perspectiva de conseguir recursos e ainda foi assaltado quando chegou à sua loja.

Questionada sobre a falta de providências, a Polícia Civil admitiu que a delegacia regional sabia da iniciativa e deu apoio, já que a licitação para a construção de um imóvel com verba pública ainda estava longe de virar realidade. Nenhum responsável pela Superintendência de Planejamento e Obras da corporação foi encontrado para falar sobre o caso. A Secretaria de Estado e Defesa Social também não se pronunciou.
Precariedade
Estrutura ruim permite fuga de preso por janela
 A falta de infraestrutura permitiu que um preso fugisse da delegacia de Passos, no Sul de Minas, enquanto era autuado por assalto. O caso aconteceu na madrugada de anteontem e, de acordo com um policial que pediu para não ser identificado, o rapaz escapou por uma janela quebrada e sem grade.

De acordo com a mesma fonte, Marcos Antônio Barbosa, 20, foi preso em flagrante após assaltar uma lanchonete e foi mantido na sala até que a polícia terminasse os procedimentos para encaminhá-lo ao presídio. "Tem um mês, mais ou menos, que a delegacia está com esse problema, e nada foi feito. Esse já é o terceiro ou quarto preso que foge daqui", afirmou.

Por meio da assessoria da Polícia Civil, o delegado regional Carlos Alves negou que tenha acontecido outras fugas e que haja problemas na janela da delegacia. O policial informou que abriu um inquérito para apurar as circunstâncias da fuga do assaltante.

MIrabela. Questionada, a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) não informou ontem os dados da violência em Mirabela. A equipe disse que passaria os números hoje.
Minientrevista
"Saímos de porta em porta pedindo ajuda"
Waldomiro Fonseca
comerciante

De onde veio a iniciativa de construir a delegacia?A criminalidade estava aumentando muito, tinha assalto o tempo todo. Em dezembro do ano passado, participei de uma reunião na regional, em Montes Claros, para cobrar mais segurança. Assim que voltei para Mirabela, fui assaltado. O delegado já tinha pedido apoio a empresários para melhorar a delegacia, e resolvemos tomar a atitude.

Como foi a campanha por recursos?Contamos com a colaboração dos policiais, saímos de porta em porta pedindo ajuda e reforçando que era para melhorar a segurança daqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário