Minas Gerais soma mais 14 explosões de caixas eletrô- nicos nas últimas semanas

Agência em Alfredo Vasconcelos é atacada e bandidos levam R$ 16 mil
FOTO: PMMG/DIVULGAÇÃO
Dimensão.Explosão destruiu não só caixa eletrônico em Alfredo Vasconcelos, mas toda a agência
OtempoOnline
A participação da Polícia Federal e do Exército na frente contra as explosões a caixas eletrônicos em Minas Gerais não tem conseguido frear as ocorrências. O pedido de ajuda a forças de segurança da União foi solicitado pelo governo mineiro há duas semanas, quando a Polícia Civil divulgou balanço dos crimes entre janeiro e março: 73 explosões. Entre abril e ontem, aconteceram pelo menos outros 14 ataques à rede bancária, o último deles, ontem de madrugada, em Alfredo Vasconcelos, na região Central.

Bandidos usaram explosivos para abrir uma caixa do Bradesco. Foram levados R$ 16 mil. A Polícia Militar conseguiu prender dois dos seis suspeitos de participação no crime, que estavam em um Ford Ka preto e em um Siena prata. Os bandidos foram vistos deixando o local em disparada. A PM montou um bloqueio e, em Conselheiro Lafaiete, a 60 km do local roubo, conseguiu interceptar parte da quadrilha. Quatro pessoas conseguiram fugir.

A reportagem de O TEMPO realizou um levantamento das ocorrências de explosões a caixas eletrônicos, entre 1º de abril e ontem. Dos 14 registros, quatro foram no Triângulo Mineiro e três na região metropolitana de Belo Horizonte. Na sexta-feira, uma operação conjunta da Polícia Civil e da Polícia Rodoviária Federal (PRF) resultou na prisão de uma quadrilha que atuava no Triângulo.

Resposta.A Polícia Militar informou, há duas semanas, ter reforçado a segurança em bancos, supermercados e outros estabelecimentos com caixas eletrônicos. Nos anos de 2010 e 2011, 1,1 t de explosivos foram roubados no país. Os dados, do Exército, revelam que o material levado, principalmente de pedreiras e mineradoras, é o mesmo usado por bandidos nas explosões em bancos.
Banco do Brasil
Dupla usa maçarico no Gutierrez
Apesar de o uso de explosivos ser o crime mais comum, no momento, contra caixas eletrônicos, bandidos não deixaram de lado o "bom e velho" maçarico. Ontem, uma dupla de catarinenses foi presa, em uma agência do Banco do Brasil no bairro Gutierrez, na região Centro-Sul da capital, tentando arrombar um equipamento.

Segundo a Polícia Militar, um pedestre que passava pela avenida Francisco Sá viu fumaça e a movimentação no banco e acionou uma viatura que passava pelo local. Foram detidos, em flagrante, Saimon Oliveira Magagnin, 27, e Eders da Silva Kolle, 26. Eles perfuraram um caixa eletrônico, mas não conseguiram violar o cofre. Na agência, a polícia apreendeu um maçarico, um cilindro de oxigênio, um botijão de gás, chave de fenda, água para resfriar o equipamento, fitas isolantes e uma lona usada para bloquear a visão.

Um Fox preto com placa de Joinville (SC) também foi recolhido. A Polícia acredita que mais uma pessoa esteja envolvida na ação. "Na tentativa de não ser preso em flagrante, o terceiro envolvido deixou o carro aberto com todos os pertences dentro e fugiu", disse o cabo Gustavo Nogueira.

Com ficha criminal extensa, os suspeitos são procurados em Santa Catarina por roubo a banco e receptação de mercadoria roubadas. De acordo com a Polícia Civil, os suspeitos, que haviam acabado de chegar da Bahia, pretendiam roubar caixas eletrônicos em várias cidades brasileiras. Belo Horizonte seria a primeira delas. (Gabriela Sales)

Nenhum comentário:

Postar um comentário