Repórter do CQC é agredido por deputado federal do PP de Minas Gerais

FOTO: REPRODUÇÃO/TWITTER
BO mostra a natureza da ocorrência como "injúria real"
OtempoOnline
O repórter humorista Felipe Andreoli, do CQC, levou um tapa na cara de um deputado federal. O caso aconteceu noite dessa terça-feira (8) no Congresso Nacional, em Brasília. O deputado Marcio Reinaldo Moreira, do PP de Minas Gerais, não gostou de uma pergunta de Andreoli e o agrediu verbal e fisicamente, com um tapa na cara do humorista.

Andreoli registrou um Boletim de Ocorrência (BO) na Polícia Civil do Distrito Federal e relatou o caso no site Tumblr e divulgou uma foto do BO em seu Twitter.

Confira a nota de Felipe Andreoli divulgada no Tumblr:
"Tapa na cara
O melhor jeito de descontar a raiva, é escrevendo, não tem outro jeito, então lá vai…
Hoje, assim que entramos no Congresso, disse pro Guga ( nosso produtor ): Depois de sair daqui tem que tomar banho de sal grosso, o ambiente é muito pesado.
Mal sabia eu…

Eu gosto de fazer matéria em Brasília, são os caras que tenho mais gana de confrontar, questioná-los da maneira que qualquer cidadão sonha em fazer. Pra mim, lugares que exalam poder não tem um bom cheiro. A sensação de trama, de conspiração, de que algo está sendo meticulosamente planejado, é constante. Aqui, até na hora de fazer xixi no mictório, olho pra trás pra ver se não tem ninguém bolando uma maldade comigo.

Sinceramente tem poucos, pouquíssimos deputados e senadores que eu olho e penso: taí, esse cara é do bem. Grande novidade, voce deve pensar assim também. Nesta terça-feira entrevistei o Deputado Marcio Reinaldo Moreira (PP-MG). Fiz uma pergunta - voces verão no CQC - que nós nos fazemos todo santo dia. Ele me respondeu com um tapa na cara. Fora os xingamentos…

O tapa na cara dói. Não aquela dor doída de um soco. É mais parecido com uma cusparada, uma humilhação. Eu senti aquele senhor batendo na cara de todos estavam ao meu redor. Indignado, não hesitei. Vou na polícia. Na hora em que cheguei à delegacia de para fazer o boletim de ocorrência - confesso - fiquei com medo. Pensei: Caraca! Sabe Deus da onde é esse cara, quem são os amigos dele, o “poder” que ele tem ou pode ter. Vou dar meu endereço e telefone no BO e esse nobre deputado vai atrás de mim. Juro que pensei isso. 

Infelizmente a gente tem essa sensação. Que todos são meio Don Corleone. Temidos nobre senhores. Respeitados e inatingíveis. Dou um tapa na cara de qualquer um e nada me acontecerá. Tenho certeza que ele pensou isso.

Daqui pra frente, vamos imaginar o melhor dos mundos: que eu vença o processo e ele tenha que pagar o que deve. Obviamente seria uma daquelas penas alternativas, como doação de cesta básica Ele paga. Uhu, ganhamos!

O pior é o sentimento que persiste: é…pagou com dinheiro do nosso bolso. Dos salários e extrinhas que pagamos pra eles. Não queria pensar assim, é triste achar que os deputados, senadores, enfim, pessoas que tem proximidade com o poder, só tem uma causa: a causa própria. Ainda assim vou até o fim, e que ele pague as cestas básicas e se retrate. 

E a retratação não é para mim. Eu nunca esperei nada muito melhor do senhor Dep. Marcio Moreira. Mas retrate-se com os eleitores que votaram na sua digníssima pessoa e tomaram esse tapa comigo.
Meus pêsames, Brasil.
Felipe"

Nenhum comentário:

Postar um comentário