Vereador acusado de tráfico e corrupção de menores é preso em Montes Claros


Alex Santos Silva (PTB) estava foragido de São Paulo desde janeiro do ano passado
ROGERIANO CARDOSO
Alex Santos Silva (PTB)
Vereador apresentou documentos falsos para tentar escapar da prisão
MONTES CLAROS – A Policia Militar de Montes Claros prendeu na manhã desta segunda-feira (28) o vereador Alex Santos Silva (PTB), do município de Mairinque, em São Paulo, que desde janeiro de 2011 estava foragido. Ele é acusado de associação ao tráfico de drogas e corrupção de menores. A prisão dele ocorreu em um estabelecimento comercial localizado na rua Neco Delfino, pertencente a uma igreja evangélica, onde Alex estava frequentando. O vereador usava documentos com o nome de seu meio-irmão Godofredo Pereira Matos, mas com sua foto. Eles são filhos de Maria Santos Silva, mas de pais diferentes.
 
O cabo Benedito Brás Brasil, que efetuou a sua prisão, explica que uma equipe do serviço de inteligência da PM recebeu a informações da presença de Alex em Montes Claros há três semanas, quando ele passou a frequentar a igreja evangélica e a namorar uma das obreiras. Os policiais foram ao local e o abordaram, quando Alex passou a identificação de Godofredo. No entanto, os policias foram vistoriar o carro dele e encontraram documentos em nome de Alex. Além disso, ele deu endereço falso, o que complicou sua situação.

A prisão de Alex foi determinado pela juíza Camila Giorgeti, da Vara Única de Mairinque, em São Paulo, no dia 28 de janeiro de 2011.  O vereador e seu assessor parlamentar Samuel Monteiro tiveram a prisão decretada sob acusação de tráfico de drogas e aliciamento de menores. Ele era dono de uma locadora de vídeos e professor de Matemática do Ensino Médio e saiu de Mairinque depois de pedir licença por tempo indeterminado na Câmara Municipal alegando problemas de saúde. No município ele deixou os filhos de 1 e 3 anos com a sogra.


O inquérito feito pela Policia de São Paulo aponta que cinco adolescentes viciadas em cocaína denunciaram que o vereador pedia que elas buscassem drogas no município de Itapevi e recebiam como pagamento, cocaína para consumo próprio. Testemunhas acusaram que ele fazia festas com as adolescentes, onde uma delas citou que além de consumir drogas, fez sexo com o vereador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário