STJ decide que membro do PCC em Minas continua preso


Hoje em Dia
Um dos membros do Primeiro Comando da Capital (PCC), em Minas Gerais, Alexandre Rodrigues dos Santos, vai continuar preso. Condenado por porte ilegal de arma, tentativa de homicídio contra policiais e tráfico de drogas, a defesa do acusado teve o pedido de habeas corpus negado pelo presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Ari Pargendler. A decisão foi publica na tarde desta quinta-feira (19). O advogado de Santos recorreu da decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), que manteve a decretação de sua prisão preventiva. De acordo com o TJMG, há provas contundentes demonstrando que o réu é membro do PCC e veio até Minas Gerais com o objetivo de perturbar a tranquilidade e cometer delitos. “A conduta do réu de disparar arma de fogo contra agentes públicos de segurança a mando do PCC demonstra grande periculosidade, merecendo, portanto, maior rigor em seu tratamento”, afirmou o TJMG. Em sua decisão, o ministro Pargendler afirma que não se pode falar, portanto, em ilegalidade da prisão do réu, que deve ser mantida para garantia da ordem pública e aplicação da lei.  O mérito do habeas corpus será julgado pela Sexta Turma do STJ. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário