Deputados constatam péssimas condições de trabalho e funcionamento do IML


A Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa esteve nesta quarta-feira (29/08) no Instituto Médico Legal (IML) de Belo Horizonte para apurar denúncias recebidas sobre péssimas condições de trabalho e de funcionamento do local. A visita foi agendada após reunião com o Secretário de Defesa Social, Rômulo Ferraz, na última sexta-feira, motivada por requerimento do deputado Sargento Rodrigues, que recebeu as denúncias e as apresentou à Comissão.

Os deputados Sargento Rodrigues, Dalmo Ribeiro e Maria Tereza Lara confirmaram os diversos problemas que estão acontecendo no IML, que vão desde instalações precárias, infiltrações, equipamentos enferrujados, até o comprometimento dos resultados dos laudos e exames e exposição dos funcionários a condições de trabalho totalmente insalubres.

 É possível ver as infiltrações em quase todas as paredes do prédio, inclusive nos vestiários dos funcionários e no alojamentos dos médicos, onde outro detalhe chamou a atenção da Comissão: homens e mulheres dividem o espaço de descanso e também o banheiro. As cadeiras, mesas e escaninhos estão, na maioria, em péssimo estado. Laudos são arquivados em armários sem tranca e em locais de livre circulação de funcionários.

Na sala onde é feita a perícia nos corpos encontrados em estado de decomposição, o sistema de exaustão não funciona adequadamente, o que torna o odor do local insuportável. “Entendemos que o mau cheiro é inevitável, mas há como amenizar a situação para os funcionários que lá trabalham”, destacou Sargento Rodrigues.

Laboratórios
Nos laboratórios, os problemas também são graves. Os materiais e provas em análise são acondicionados em vasilhas e prateleiras, de forma inadequada, alguns até mesmo expostos ao sol. No local onde são feitos os laudos toxicológicos o sistema de ventilação há tempos não passa por manutenção e limpeza e os equipamentos estão enferrujados, funcionando de forma precária.


A câmara frigorífica, chamada de sala de contraprova, está superlotada, o que põe em risco os resultados dos laudos. Lá ficam armazenados os órgãos e partes humanas que estão em análise e não há mais espaço para acondicioná-los da maneira adequada. O contato de um com o outro pode comprometer os resultados, segundo informações recebidas. Além disso, a câmara fica localizada no corredor de acesso aos demais laboratórios, fato que expõe todos que ali transitam ao risco de contaminação por bactérias cada vez que a porta é aberta. “Seria necessário ter uma antessala para minimizar este risco, de forma que apenas funcionários devidamente protegidos tivessem contato com o ambiente interno”, explica Sargento Rodrigues.

Há riscos também na sala onde estão armazenados os solventes utilizados nos laboratórios. O local não possui sistema de ventilação adequado, as caixas estão empilhadas umas sobre as outras, as janelas são cobertas com papel para minimizar a luz solar e não há, sequer, equipamentos de prevenção de incêndio. “O estoque desses produtos, da forma que está, põe em risco todos que aqui trabalham, pois, além de altamente tóxicos, são inflamáveis”, protestou o deputado.

Verba para reforma
A ida da Comissão ao IML contou com a presença do Secretário de Defesa Social, Rômulo Ferraz, do Chefe de Polícia Civil, Cylton Brandão, e do Superintendente de Polícia Técnico-científica, Gilmar Freitas. Logo após a visita, eles se reuniram com os deputados e o Secretário informou que o governador determinou a liberação imediata de verba para a ampliação e reforma das instalações.


A informação foi comemorada pelos deputados. “O que vimos aqui é inadmissível. A situação do IML hoje é de total precariedade. As instalações e equipamentos estão em péssimo estado e os funcionários trabalham de forma inadequada e insalubre, desde o médico legista ao responsável pela limpeza. O Estado precisava dar uma resposta urgente a todos que aqui trabalham e à sociedade mineira. É gratificante saber que nossa ação já está gerando atos concretos”, ressaltou Rodrigues.

Um relatório minucioso sobre a visita será elaborado pela consultoria da Assembleia Legislativa e enviado ao Governo pela Comissão de Segurança Pública, juntamente com as fotos tiradas no local. “Esperamos que, a partir deste documento, sejam encaminhadas as devidas providências para resolver definitivamente os problemas aqui hoje detectados, que vão muito além da reforma e ampliação do prédio. A partir de agora, estarei atento e acompanhando de perto a situação do IML de Belo Horizonte”, afirmou Sargento Rodrigues.

(Assista à matéria exibida pela Globo Minas, no MG TV 2ª Edição, no link http://g1.globo.com/minas-gerais/noticia/2012/08/comissao-confirma-mas-condicoes-do-iml-de-bh-em-vistoria.html)

 

                   


Autor: Sandra Teixeira

Nenhum comentário:

Postar um comentário