Filha de Rony Peixoto e 27 pessoas são presas em Ribeirão das Neves


Hoje em Dia
Uma operação da Polícia Civil realizada em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, nesta quinta-feira (23) e que conta com 260 policiais levou à prisão da filha de Rony Peixoto, o criminoso que encabeça a lista dos mais procurados pela polícia em Minas Gerais. Além de Natacha Peixoto, de 21 anos, o traficante Bruno Ferreira da Silva,  conhecido pelos apelidos "Bruninho", "Baleia" e "Berruga", e que já estava preso desde 2009 foi preso novamente por ser suspeito de comandar o tráfico de drogas de dentro da penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Grande BH. Ao todo, cinco pessoas estão foragidas. Entre elas, um agente penitenciário e o fornecedor da droga para a quadrilha de "Berruga".


A ação recebeu o nome de Operação Sepulcro e tem o objetivo de desarticular uma rede de tráfico de drogas e prender autores de homicídios na região. Ao todo, devem ser cumpridos 32 mandados de prisão e de busca e apreensão. O delegado Adriano Assunção deu detalhes de como agia  a quadrilha de "Berruga". Segundo ele, um agente penitenciário dava cobertura para a entrada de celulares e drogas, o fornecedor do material levava os entorpecentes para que o detento avaliasse a qualidade da droga. Há suspeita de que o agente tenha fugido para São Paulo, depois de ter tido a prisão preventiva decretada. Uma mulher que também participaria do esquema é considerada foragida e suspeita-se que ela esteja no Estado do Mato Grosso. O fornecedor da droga e outro envolvido com a quadrilha fugiram e não há notícias sobre o paradeiro deles. 

Em um balanço parcial divulgado pela Polícia Civil 28 pessoas foram presas, sendo uma das prisões em flagrante. Além disso, um dos fornecedores de "Berruga" que foi preso nesta quinta-feira estava na cadeira de rodas há um ano, depois de ter sido baleado e ficado paraplégico. Quase um quilo de cocaína, 250 pedras de crack, duas barras da mesma droga, munição de calibres .380, 38, 12 e 9 mm, dez aparelhos de celular, cinco chips para celular, além de uma balança de precisão e material para dolagem de drogas foram apreendidos durante a ação.

Armas, drogas e anotações do tráfico foram recolhidas durante a Operação SepulcroQuase um quilo de cocaína, 250 pedras de crack, duas barras da mesma droga, munição de calibres .380, 38, 12 e 9 mm
O efetivo atuante na Operação Sepulcro é de sessenta equipes com cerca de 260 policiais civis do 1º, 2º e 3º Departamentos, além do Departamento de Crimes Contra o Patrimônio, Grupo de Operações Especiais (GOE), Canil e Coordenação de Apoio Aéreo. A ação foi realizada dois anos depois da continuidade à Operação Monte das Oliveiras, deflagrada em 2009, na cidade de Ribeirão das Neves e que teve como objetivo a prisão de vários criminosos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário