Polícia descarta existência de lista de marcados para morrer no caso Bruno


Hoje em Dia
A Polícia Civil descartou a existência de uma lista de marcados para morrer no caso que envolve o desaparecimento de Eliza Samudio, ex-amante do goleiro Bruno Fernandes de Souza. A informação foi dada durante coletiva realizada na tarde desta terça-feira (28) pelo delegado Vagner Pinto, chefe do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP).

Segundo ele, as duas tentativas de homicídio sofridas pelo amigo e ex-motorista do atleta, Cleiton da Silva Gonçalves, em dois dias consecutivos, não tem nenhuma relação com o sumiço da modelo. Corforme o delegado, um jovem de 17 anos teria tentado matar o motorista por causa de um assassinato ocorrido em março deste ano. Cleiton é acusado de ter participação no homicídio de Elvis da Silva Carmargos, que foi morto dentro de uma churrascaria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O adolescente que teria tentado matar Cleiton continua foragido.
Sobre a execução de Sérgio Rosa Sales, conhecido como "Camelô", primo de Bruno, Vagner Pinto se recusou falar sobre o caso. Ele se limitou a dizer que as investigações estão sendo comandadas pela Corregedoria da Polícia Civil.
 
O chefe do DHPP aproveitou a coletiva para informar que não acredita que os restos mortais de Eliza Samudio estejam enterrados em duas bananeiras, no antigo sítio do ex-goleiro. Segundo ele, os bombeiros e a polícia fazem buscas no local apenas por causa de uma denúncia anônima.
 
Além disso, ele foi categórico aos dizer que o depoimento de Andrea Rodrigues, amante de Luiz Henrique Romão, o "Macarrão", não acrescentou muito nas investigações.
 
Entenda o caso
 
O ex-goleiro Bruno, que seria amante de Eliza Samudio, é acusado de encomendar a morte da modelo. O atleta, o amigo dele, Luiz Henrique Ferreira Romão, o "Macarrão", o primo Sérgio Rosa Sales - que foi assassinado nessa quarta-feira (22) - e Marcos Aparecido dos Santos, o "Bola", respondem aos crimes de homicídio triplamente qualificado, sequestro, cárcere privado e ocultação de cadáver.
 
Dayanne Rodrigues do Carmo Souza, na época mulher do atleta; Wemerson Marques de Souza, o "Coxinha"; Elenílson Vítor da Silva, e Fernanda Gomes de Castro, ex-namorada do jogador, respondem pelos crimes de sequestro e cárcere privado. O julgamento que definirá o futuro dos acusados não tem previsão de ocorrer.
 
Eliza Samudio está desaparecida desde o dia 4 de junho de 2010, quando fez um último contato telefônico com uma amiga. Segundo a polícia, ela foi morta e teve seu corpo esquartejado. No entanto, os restos mortais da ex-modelo não foram localizados até hoje.


Nenhum comentário:

Postar um comentário