Suposto executor do primo do goleiro Bruno é preso no Minaslândia


Hoje em Dia
Um homem que pode ter envolvimento na execução de Sérgio Rosa Sales, primo do goleiro Bruno, foi preso na tarde desta sexta-feira (24), no bairro Minaslândia, região Norte de Belo Horizonte. A polícia prendeu o suspeito após denúncia anônima. No total, sete pessoas foram presas por envolvimento com o tráfico de drogas. Com eles, a polícia apreendeu três revólveres calibre .38, 173 pedras de crack, 62 buchas de maconha, além de tabletes de maconha, uma porção de cocaína e 30 munições de calibre .38.
 
Sérgio Rosa Sales foi assassinado na quarta-feira (22). De acordo com a Polícia Civil, ele era peça fundamental no caso que investiga o desaparecimento da ex-modelo Eliza Samudio. Em depoimento à polícia, o primo de Bruno revelou que a ex-amante do atleta teria sido morta. Depois Sérgio mudou de versão e disse que foi pressionado para falar sobre o crime.
 
Ele havia deixado a penitenciária Dutra Ladeira, em Ribeirão das Neves, no dia 11 de agosto de 2011. Sérgio respondia pelos crimes de homicídio triplicamente qualificado, sequestro, cárcere privado e ocultação de cadáver. Ele ficou 400 dias preso e, na época da saída, disse que se sentia "feliz e aliviado".                  
                                                                    
De acordo com os militares do 13º Batalhão da Polícia Militar, o crime ocorreu na rua Aracitaba, esquina com rua Maria Madalena. O local fica perto da casa onde Sérgio morava e, de acordo com os policiais, a pessoa que denunciou o homicídio contou que ouviu cinco disparos de arma de fogo na rua e várias pessoas gritando.
 
Quando os militares chegaram ao local, encontraram o corpo de Sérgio na via pública com cinco marcas de tiros. A perícia foi acionada e o corpo encaminhado ao Instituto Médico-Legal (IML). A Polícia Civil está investigando o caso. Há suspeita de que o homicídio tenha sido uma queima de arquivo, já que Sérgio era um dos envolvidos no caso do desaparecimento da modelo Eliza Samúdio. A reportagem do Hoje em Dia tentou entrar em contato com o advogado de Sérgio Rosa Sales, mas ele não foi encontrado para comentar a morte do cliente.
 
Audiência
 
A liberdade de Sérgio foi decidida no dia 10 de agosto do ano passado, durante audiência na 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). Durante a sessão, os desembargadores Dorgal Andrada, Herbert Carneiro e Demilval de Almeida Campos decidiram, também, por unanimidade, que Bruno e os outros sete acusados de envolvimento pelo desaparecimento de Eliza Samudio vão a julgamento popular.
 
Mesmo não se livrando das acusações do crime, os familiares de Sérgio, na época, comemoraram a decisão. "Foi muita gritaria, festa e emoção quando recebemos a notícia que meu irmão seria solto", afirmou Cláudia Sales, irmã do acusado. O alvará de soltura foi assinado pela juíza Marixa Fabiane Lopes, por volta das 13 horas, na Vara Criminal de Contagem.
 
Entenda o caso
 
O ex-goleiro Bruno, que seria amante de Eliza Samudio, é acusado de encomendar a morte da modelo. O atleta, o amigo dele, Luiz Henrique Ferreira Romão, o "Macarrão", o primo Sérgio Rosa Sales - que foi assassinado nessa quarta-feira (22) - e Marcos Aparecido dos Santos, o "Bola", respondem aos crimes de homicídio triplamente qualificado, sequestro, cárcere privado e ocultação de cadáver.
 
Dayanne Rodrigues do Carmo Souza, na época mulher do atleta; Wemerson Marques de Souza, o "Coxinha"; Elenílson Vítor da Silva, e Fernanda Gomes de Castro, ex-namorada do jogador, respondem pelos crimes de sequestro e cárcere privado. O julgamento que definirá o futuro dos acusados não tem previsão de ocorrer.
 
Eliza Samudio está desaparecida desde o dia 4 de junho de 2010, quando fez um último contato telefônico com uma amiga. Segundo a polícia, ela foi morta e teve seu corpo esquartejado. No entanto, os restos mortais da ex-modelo não foram localizados até hoje.

Nenhum comentário:

Postar um comentário