Cabo da PM é suspeito de estupro e extorsão

Policial nega acusações e afirma que apenas cobrou uma dívida


OtempoOnline
Um policial militar foi preso anteontem, suspeito de extorquir e estuprar uma jovem de 22 anos em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. O crime teria sido cometido no bairro Maracanã, na noite do último domingo, pelo cabo Antônio Mendes Moura, do 39º Batalhão da Polícia Militar (PM), com a ajuda de dois comparsas. O suspeito nega o crime e afirma que teve um relacionamento anterior com a moça e que estava "apenas cobrando uma dívida".

Segundo a jovem, que pediu para não ser identificada, ela foi sequestrada em um bar, onde outros dois jovens - que também teriam sido extorquidos pelo militar e seus comparsas - teriam dito que o trio poderia encontrar drogas. Ainda segundo a mulher, Mendes e dois amigos se aproximaram com o carro da mesa onde ela estava com duas amigas. Ele, então, deu dinheiro à moça e pediu que ela o ajudasse a comprar papelotes de cocaína. Ela atendeu ao pedido do militar. No entanto, depois de entregar os papelotes, foi puxada para dentro do veículo e obrigada a seguir com o trio e os outros dois jovens, também mantidos reféns.

Na cerca de uma hora em que ficou em poder dos suspeitos, a jovem teve que fazer uma transferência bancária no valor de R$ 190 para a conta do policial. Ela ainda teria sofrido abuso sexual. "Eu estava no colo deles (das duas outras vítimas), quando o policial abaixou meu short dizendo que ia me revistar. Aí ele colocou os dedos em minhas partes íntimas. Depois, me obrigou a lamber os dedos dele".

O policial teria ainda exigido que a vítima lhe entregasse um telefone celular, os documentos e um cartão bancário. Antes de libertar a moça e os dois rapazes em uma rua do bairro Maracanã, os suspeitos ainda teriam passado com eles na porta de suas casas. 

Ameaça. Segundo a mulher, o policial a ameaçou de morte e disse que em breve voltaria para pegar dinheiro. Ele foi preso anteontem, depois de fazer vários telefonemas para a família da jovem, exigindo dinheiro. Os parentes da vítima pediram ajuda a outro policial militar 

- lotado no Batalhão Rotam -, que procurou o 18º Batalhão da PM, responsável pela região onde a moça mora. 
Quando o cabo Mendes e um dos comparsas apareceram para pegar R$ 700, foram surpreendidos por uma emboscada feita pelos militares e presos em flagrante pela extorsão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário