CASO BRUNO: Jaílson afirma que recebeu R$ 50 de policial para fugir da penitenciária


FOTO: LEO FONTES/OTEPO
Jailson ainda afirma que foi agredido durante a captura
OtempoOnline
Jailson Alves de Oliveira, uma das testemunhas do caso que investiga a morte e desaparecimentos de Eliza Samudio, prestou depoimento nesta terça-feira (25) na Vara de Execuções Criminais, no Fórum de Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. Ele disse que recebeu R$ 50 de um policial civil para fugir do Ceresp São Cristóvão, em Belo Horizonte, em julho deste ano.

Segundo o advogado de defesa, Ângelo Carbone, Jailson "narrou na audiência de justificação que foi obrigado a fugir, e só o fez por medo de ser morto e de que também sua mulher viesse a ser assassinada como bem disse o algoz que se chama José. Ele ainda foi agredido durante a captura a mando de um sargento". Carbone disse também que o objetivo do policial que facilitou a fuga era ajudar Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, que também está preso por envolvimento na morte de Eliza. "Em síntese, o policial civil queria que Jailson mudasse a sua versão sobre o que Bola havia dito ou fugisse dando-lhe dinheiro. Se ele ficasse morreria junto com a esposa. Com medo, desesperado e temendo ser morto ele fugiu depois que abriraram a porta da frente da penitenciária", afirma.

O juíz Wagner de Oliveira Cavalieri acatou os requerimentos da equipe de advogados do réu e concedeu o recurso solicitado ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) para Jailson contar o que teria motivado a fuga. o O juiz deve agora encaminhar o processo ao Ministério Público. Em seguida, a defesa poderá fazer as considerações finais, antes que seja tomada uma decisão. A expectativa da defesa é que o TJMG conceda o julgamento do habeas corpus e que Jailson e sua mulher sejam integrados no sistema de proteção à testemunha.
Em nota, a Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi) afirma que não possui registro de ameaças praticadas por supostos policiais enquanto Jailson esteve detido no Ceresp São Cristóvão.


Relembre o caso
Jailson de Oliveira fugiu do Departamento de Investigações de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) no dia 17 de julho, quando realizava serviço de pintura em uma das salas do departamento. O detento estava preso no Ceresp São Cristóvão ao lado do departamento. Na época, Jailson afirmou está sendo ameaçado de morte por um policial civil dentro da cadeia. As ameaças teriam sido feitas a mando de Marcos Aparecido dos Santos, o Bola. Acusado de executar Eliza Samudio, Bola teria revelado detalhes sobre o crime durante a prisão a penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário