Crimes de saidinha de banco diminuem em BH e alerta continua para agências sem biombo

Jornal Estado de Minas
De janeiro a agosto deste ano, ocorreram 588 assaltos - sendo 95% deles em agências onde não há biombos


Polícia reforça a patrulha contra os crimes de saidinha de banco colocando nas rua de BH  mais 24 motos para rondas (Paulo Filgueiras/EM DA Press)
Polícia reforça a patrulha contra os crimes de saidinha
de banco colocando nas rua de BH mais 24 motos para rondas
Os crimes de saidinha de banco diminuíram em Belo Horizonte nos últimos meses em relação ao meses período de 2011. A Polícia Militar (PM) divulgou nesta terça-feira o balanço que mostra queda de 46,2% no mês de julho (57 assaltos contra 106 no ano passado) e redução de 51,3% em agosto (53 ocorrências contra 109 do ano passado). A redução total de janeiro a agosto, em relação ao último ano é de 26,4%.

Segundo o comandante do Policiamento da Capital (CPC), coronel Rogério Andrade, a grande preocupação da PM se volta para os bancos que não possuem biombos para proteção do cliente durante o saque. De janeiro a agosto deste ano, ocorreram 588 assaltos - sendo 95% deles em agências onde não há biombos. O coronel afirma que a corporação mantém o diálogo com as instituições bancárias para incentivar a instalação das proteções - conforme determina lei municipal - na tentativa de reduzir os crimes. 
 (Paulo Filgueiras/EM DA Press)
A população deve tomar alguns cuidados para prevenir os assaltos, entre eles evitar o saque de grandes valores. Segundo a PM, 68% das vítimas de saidinha são funcionários de empresas que geralmente retiram dinheiro para pagamento de empregados, contas e fornecedores. A maior frequência de casos de assalto acontece nos dias 5 e 6 de cada mês, no período entre 17h e 18h. 


A polícia reforçou a patrulha contra os crimes de saidinha colocando nas rua da capital mais 24 motos para rondas. As novas motopatrulhas serão usadas nas operações com foco na prevenção e repressão, principalmente contra o patrimônio que utilizam motocicletas como meio de fuga, tais como saidinhas de banco, sequestros relâmpagos e furtos qualificados a caixas eletrônicos.

Lei 

A Lei Municipal 10.200/2011 determina que os bancos deverão instalar um painel de material opaco, com no mínimo dois metros de altura, no espaço entre o caixa e a fila de espera. Além disso, as agências e outras instituições financeiras devem que contar com um painel eletrônico para indicar aos clientes qual caixa está disponível, como já ocorre em guichês de atendimento. A lei também reforça a proibição do uso de celulares em bancos, como já havia sido determinado pela Lei Estadual 19.432/ 2011.    

Nenhum comentário:

Postar um comentário