'Maníaco de Contagem' é julgado por morte de contadora em Nova Lima


FOTO: DIVULGACAO/JORNAL A NOTICIA
Usando o uniforme do sistema prisional, Marcos Antunes Trigueiro acompanhou a primeira parte do julgamento de cabeça baixa na maior parte do tempo.
OtempoOnline
Acontece nesta terça-feira o julgamento de Marcos Antunes Trigueiro, conhecido como o 'Maníaco de Contagem'. A audiência ocorre no Fórum de Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte.
Conforme o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), a sessão começou por volta das 8h30 com a fala da promotoria. Esse processo é referente ao crime contra a contadora Edna Cordeiro de Oliveira Freitas, de 35 anos. A mulher foi morta pelo maníaco na entrada do condomínio Retiro das Pedras, em novembro de 2009.

Segundo o TJMG, Trigueiro acompanha em plenário todo o julgamento. O acusado permanece de cabeça baixa o tempo todo, ouvindo as alegações da promotoria. Neste momento, a defesa do 'Maníaco de Contagem' fala para o júri.Conforme o Tribunal, parentes da vítima acompanham a audiência. Para a realização do julgamento, o Fórum solicitou segurança reforçada na região. A Polícia Militar interrompeu o trânsito em várias ruas próximas ao prédio. Para o promotor do caso, Francisco de Assis Santiago, o arrependimento do réu não diminui a culpa dos crimes cometidos. "Em todo momento ele afirma não lembrar do crime e disse estar arrependido, mas isso não desqualifica ou diminui sua responsabilidade no ato". Além desse crime, Marcos Antunes Trigueiro é acusado de violentar e estrangular mais cinco mulheres. Todos os crimes foram cometidos na região metropolitana de BH.


Divulgação / Jornal A Notícia
Parentes da contadora acompanham o julgamento.
 
Relembre o caso
Marcos Antunes Trigueiro é acusado de estuprar e matar várias mulheres em Belo Horizonte e região metropolitana entre 2009 e 2010. Durante depoimento, Trigueiro confessou os crimes, alegando não se lembrar muito bem do que tinha ocorrido e afirmou estar arrependido. Em junho de 2010, ele foi condenado a quase 35 anos de prisão, em regime fechado, pela morte de Ana Carolina Assunção. Em setembro passado, foi condenado a mais 28 anos de cadeia pelo homicídio triplamente qualificado, estupro e roubo da empresária Maria Helena Aguar, de 48 anos.

Em 2009, ele estuprou e matou Adina Feitor Porto, de 34 anos, no distrito de Sarzedo. Segundo a denúncia, ele abordou a mulher dentro do carro dela, no bairro Lindéia, em Belo Horizonte, e simulou um assalto, obrigando-a dirigir até Sarzedo. Depois de estuprá-la, ele estrangulou a vítima. Trigueiro abandonou o carro na Via Expressa, em Contagem, e depois fugiu. Por esse crime, ele foi indicado por homicídio qualificado, por motivo torpe, com requintes de crueldade e sem possibilidade de defesa da vítima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário