Policiais federais montam elefante branco no Aeroporto de Confins

Animal representa a burocracia do atual modelo de investigação, diz sindicato 


Hoje em dia
Há 45 dias em greve, em torno de 60 integrantes da Polícia Federal fazem mais uma manifestação na manhã desta quinta-feira (20). Desta vez, os grevistas fizeram uso de painéis e montaram um elefante branco no Aeroporto de Confins, na região metropolitana de Belo Horizonte. De acordo com o presidente do Sindicato dos Policiais Federais em Minas Gerais (Sinpef), Renato Deslandes, o animal representa a burocracia do atual modelo de investigação. “O modelo de investigação que temos que seguir é extremamente burocrático, o que resulta em desperdício de dinheiro público e em impunidade”, diz o presidente.
Protesto da Polícia Federal em Confins nesta quinta-feira (20). (Foto: Reprodução/TV Globo)
Com forma de chamar a atenção, os manifestantes fazem passeatas pelo aeroporto. O previsto é que o movimento dure por mais uma hora. Segundo pesquisa feita pelo Sinpef, apenas 2,3% das investigações feitas pela Polícia Federal em 2010 chegaram ao Poder Judiciário. Conforme Renato Deslandes, esse dado é fruto de falta de estrutura e de investimento por parte do governo. Por ano, mais de 200 policiais federais desistem da carreira. Entre os manifestantes estão escrivães, agentes e papiloscopistas. O salário inicial desses profissionais é de R$ 7,2 mil, referente ao servidor que tem apenas o ensino médio. A categoria pede a equiparação salarial para os policias que possuem o terceiro grau completo, que é de R$ 12 mil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário