Brasil é o quarto país mais perigoso para jornalistas, aponta organização internacional


Hoje em dia
Um ranking divulgado nesta terça-feira (2) por uma organização civil internacional coloca o Brasil no quarto lugar entre os países mais perigosos para jornalistas no mundo. De acordo com as estatísticas da Press Emblem Campaign (PEC), sete profissionais da área foram assassinados no país em 2012. A situação do Brasil só não é pior do que a da Síria, onde morreram 32 jornalistas em conflitos, Somália, com 16 crimes, e México, que teve 10 assassinatos, informa o balanço da instituição. Somadas todas as mortes violentas envolvendo a categoria em 25 países da lista, o total é de 110 profissionais assassinados entre janeiro e setembro deste ano. O número é considerado muito alto, segundo o secretário-geral da organização, Blaise Lempen. Os dados representam um crescimento de 36% na comparação com o mesmo período de 2011, quando foram registrados 107 crimes do tipo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário