Mulheres engrossam a lista entre os candidatos de concursos públicos

Mulheres engrossam a lista entre os candidatos de concursos público pelo país
No setor público, as disputas por melhores salários
 entre mulheres e homens é mais equilibrada
Do hoje em dia
As mulheres buscam, cada vez mais, uma carreira profissional. Independência financeira, qualidade de vida,construção de patrimônio são preocupações que fazem parte do cotidiano delas. Nos concursos públicos elas já são maioria.De acordo com pesquisa publicada pela Rota dos Concursos, 54% dos candidatos em concursos públicos são do sexo feminino. Segundo Henrique Guimarães, coordenador da pesquisa, as mulheres se preocupam mais com a estabilidade no emprego e com a segurança financeira. “Isso fica muito mais aparente quando elas decidem ser mães. Dão prioridade à família, escolhendo um emprego de meio período”, afirma Guimarães.O levantamento também mostra que as mulheres buscam uma vaga no setor público por considerarem as disputas por postos e salários com os homens mais equilibradas do que no setor privado, onde eles ainda têm melhores rendimentos, assim como menor carga horária e normas de política interna, que podem ser entrave na conciliação entra a vida profissional e a pessoal.



Nível médio

Garantias de estabilidade e jornada de trabalho menos extenuante em relação ao setor privado motivaram a estudante Renata Vieira a se dedicar integralmente a uma vaga, para nível médio, em uma instituição pública.
“Há oito anos faço concursos e vou continuar até ser aprovada. Já passei em alguns, mas não cheguei a ser chamada. Dou preferência para cargos administrativos e também para segurança pública. Trabalhar em um escritório ou ser policial seria interessante”, explica Renata, que não encontra boas ofertas no setor privado.


Dedicação

Com oito anos de experiência em processos seletivos e mais de 20 exames, Renata garante que não há outro caminho a não ser a dedicação total. “Algumas matérias sempre são as mesmas, mas mesmo assim exigem muito preparo. Mas as específicas são sempre as mais complicadas”, orienta. A pesquisa mostra que 36% das pessoas estudam de nove meses a um ano para entrar na vida pública.

Nenhum comentário:

Postar um comentário