Presa quadrilha que transportava drogas do Paraguai para BH junto com carga de cigarro

O grupo foi preso com 330 quilos de maconha e uma grande carga de cigarros contrabandeados
Do Estado de Minas
Grupo seria responsável por abastecer de drogas  várias cidades brasileiras (Túlio Santos/EM/D.A Press)
Grupo seria responsável por abastecer de
 drogas várias cidades brasileiras

Um grande esquema de tráfico de drogas internacional foi descoberto pela Polícia Civil depois que foi interceptada uma carga 330 quilos de maconha escondidos em meio a cigarros contrabandeados que seriam vendidos em shoppings populares de Belo Horizonte. Cinco pessoas foram presas, entre elas quatro moradores de Foz do Iguaçu, no Paraná, que seriam responsáveis por adquirir a droga no Paraguai e fazer o transporte para a capital mineira. Outros dois homens foram detidos por contrabando, por estarem com grande carga de cigarros. 

As investigações da 2ª Delegacia do Departamento de Investigações Antidrogas começaram há dois meses. A polícia recebeu a informação de que grandes cargas de maconha estariam vindo do Paraguai para Belo Horizonte, escondidas junto com cigarros. Os investigadores conseguiram identificar que Oscar Papo Portilho, de 22 anos, Charles Medina Portilho, 24, Marlon Oliveira Arce, 24, e Alexandro Resende da Silva, 35, conhecidos como “Paraguaios”, trariam uma tonelada da droga para Belo Horizonte. 

Segundo a Polícia Civil, o material foi transportado na última segunda-feira em um Golf branco. O veículo havia sido roubado em Curitiba e foi todo preparado para o transporte do entorpecente. Os bancos de trás do carro foram retirados para armazenar o material ilícito. Os traficantes ainda usavam dois carros - um Palio, que foi apreendido, e um Astra, que conseguiu fugir, para fazer a escolta e evitar blitzes. 


Veículo usado no transporte da droga (Túlio Santos/EM/D.A Press)
Veículo usado no transporte da droga

Conforme as investigações, a droga foi entregue para Vicente Paulo Filho da Cruz, 30, vulgo “Paulinho”, que levou o entorpecente para a casa dele, localizada no Bairro Milanês, em Contagem, Região Metropolitana de Belo Horizonte. Paulinho seria responsável por distribuir os tabletes de maconha para outros traficantes da Grande BH. Ele também tem um box no Shopping Oiapoque onde comercializa produtos falsificados. 

Já os cigarros contrabandeados foram transportados para um depósito localizado na Rua Pouso Alegre, no Bairro Floresta, Região Leste de Belo Horizonte. 

As prisões

Diante das informações, a polícia montou uma operação, denominada Cerco aos Paraguaios, para fazer as prisões simultaneamente. Na última quarta-feira, dois criminosos foram presos em um hotel no Centro de BH, outros dois no shopping Oiapoque.  Paulinho foi localizado em sua própria casa, no Bairro Milanês. No imóvel, foram encontrados 330 quilos de maconha, além de caixas de cigarros contrabandeados. 

Já no depósito, onde eram armazenados os cigarros, dois homens foram detidos. Afonso Batista de Moraes, 62 anos, e Osório Rocha Neto, 51, foram autuados em flagrante por contrabando. Eles pagaram fiança e foi liberado, já que, não foi encontrado indícios da participação no tráfico de drogas.  As investigações apontaram que o grupo distribuía a droga em outras cidades brasileiras, além de Belo Horizonte. Na apresentação da quadrilha na tarde desta sexta-feira, um dos criminosos, Charles Portilho, não pôde comparecer pois estava fazendo hemodiálise.

Nenhum comentário:

Postar um comentário