Sem rabecões suficientes, governo terceiriza serviço e vai pagar R$ 92 por corpo removido ao IML

Rabecão corpos recolhimento
Falta de rabecões causa horas de espera para a remoção de corpos

Do Hoje em dia
Depois da intervenção do governador Antonio Anastasia e da improvisação de veículos para remover cadáveres em Minas Gerais, o Estado contratou duas empresas para prestar o serviço. O anúncio feito nesta terça-feira (28) pela Polícia Civil informa que o Estado pagará R$ 92 por corpo recolhido do local da morte até o Instituto Médico-Legal. A terceirização foi o caminho adotado pela Polícia Civil como alternativa para suprir a demanda pelo serviço dos rabecões. Atualmente, a Grande BH só possui sete veículos desse tipo.

Uma terceira empresa também demonstrou interesse em ser terceirizada do governo estadual para atender a capital mineira, mas a contratação ainda não foi finalizada. Segundo a assessora técnica da Superintendência de Planejamento, Gestão e Finanças (SPGF) da Polícia Civil, Carla Regina Barbosa, o processo está cumprindo prazos legais.
De acordo com o contrato, o monitoramento e a fiscalização do serviço é responsabilidade da Polícia Civil, que vai acompanhar se os critérios definidos no contrato estão sendo cumpridos.  

Os municípios que serão atendidos pela funerária Jada Pax são Florestal, Juatuba, Mateus Leme, Igarapé, Betim, São Joaquim de Bicas, Mário Campos, Sarzedo, Ibirité, Brumadinho, Itatiaiuçu, Rio Manso, Itaguara, Bonfim, Moeda, Crucilândia e Piedade dos Gerais.

Já a funerária Cintra atenderá as cidades de Contagem, Esmeraldas, Ribeirão das Neves, Vespasiano, São José da Lapa, Pedro Leopoldo, Confins, Matozinhos e Capim Branco, do lote três, serão atendidos pela Funerária Cintra.

Um dos rabecões que atendem a região metropolitana integra a frota dos 30 rabecões adquiridos por meio de licitação. Os outros 29, que devem chegar nos próximos dias, servirão também para ampliar a capacidade de atendimento em outros regiões do Estado. A compra dos novos rabecões custou R$ 4.356.000 aos cofres públicos.

Até o momento, nenhuma empresa apresentou interesse no lote que irá atender 16 cidades: Baldim, Jaboticatubas, Lagoa Santa, Taquaraçu de Minas, Nova União, Santa Luzia, Sabará, Caeté, Raposos, Nova Lima, Rio Acima, Serra do Cipó, Santana do Riacho, Cardeal Mota, São Gonçalo do Rio Abaixo e São José de Almeida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário