Caos: vandalismo coloca BH em alerta

Vândalos quebraram a sede da Prefeitura de Belo Horizonte
Vândalos quebraram a sede
 da Prefeitura de Belo Horizonte
Grupos isolados fizeram com que uma manifestação pacífica ganhasse tons de vandalismo na noite desta terça-feira (18), em Belo Horizonte. Enquanto cerca de cinco mil pessoas protestavam em vários pontos da zona central da capital mineira, outras preferiram deixar os gritos de ordem e cartazes de lado para depredar estabeleciomentos e o prédio da administração municipal.

O clima próximo à Prefeitura de Belo Horizonte era desolador. Ao contrário das ações organizadas de sábado e segunda-feira, o que se viu por volta das 23 horas foi pura e simplesmente baderna. Jovens adolescentes em pequenos grupos, carregando paus com os rostos cobertos e passavam sistematicamente em frente ao prédio do executivo jogando pedras, cuspindo, gritando e assustando as pessoas que passavam pela rua. Chegaram, inclusive, a chutar alguns carros importados que paravam no sinal, gritando palavras como "sai daqui, playboy".

Pôde-se ver restos de placas e cartazes jogados nas escadarias do prédio e várias pichações de caráter extremamente ofensivo. No entorno, a reportagem não viu nenhuma ação mais contundente da polícia e as poucas viaturas que passaram apenas observaram a ação dos vândalos.

Praça da Liberdade também foi alvo de vandalismo
Relógio que faz a contagem regressiva para a Copa do Mundo ficou parcialmente destruídoPouco acima, na Praça da Liberdade, outro grupo quebrou o relógio que fazia a contagem regressiva para a Copa, que estava fixado no local. Enquanto alguns manifestantes se dirigiam ao Museu da Vale, localizado nas proximidades, aproximadamente dez vândalos aproveitaram a falta de policiamento para depredarem o monumento.
Os que protestavam pacificamente tentaram cercar os vândalos, mas a atitude foi em vão. Nesse momento, os manifestantes gritaram “não me representam” e pediram para que não houvesse mais depredação. Cinthia Lopes, de 22 anos, que participava do protesto, repudiou a atitude dos "baderneiros". “Isso é ridículo e tira a força do movimento. É algo muito triste, uma ação de um grupo específico”, aponta.
Além disso, os vândalos cercaram e impediram os motoristas que tentaram passar pelas ruas ao arredores da praça. Em alguns deles, como vans que transportam universitários, foram chacoalhados, o que provocou apreensão aos passageiros. Na porta do Palácio, os manifestantes colaram cartazes contra a realização da Copa. No local não havia um policial militar, que só foram vistos no acesso a avenida Brasil, onde estavam apenas bloqueando o trânsito. Dois ônibus tiveram vidros quebrados. Na esquina das avenidas Espírito Santo e Afonso Pena, um coletivo de linha 4103 (Aparecida-Mangabeiras), foi cercado e depredado. O motorista, cobradores e passageiros tiveram que desembarcar, para não serem atingidos. Felizmente, não houve feridos.

Lojas e agências bancárias são atacadas
A agência do banco Itaú localizada na Praça 7, coração da Capital Mineira, também foi depredada por vândalos. No local, os baderneiros pegaram móveis do estabelecimento e jogaram para fora, além de roubaram materiais. Logo após, incendiaram parte do local destruindo a estrutura física e eletrônica.
Próximo do local, a agência do Banco do Brasil foi quebrada. Além disso, três postes foram queimados na altura da rua Tupinambás.
Pouco à frente, na avenida Afonso Pena, uma loja da empresa de telefonia celular Vivo foi alvo dos desordeiros, que arrombaram o estabelecimento. A Polícia Militar chegou ao local lançando bombas de efeito moral para tentar conter o bando. Cerca de 12 pessoas foram presas. Os oficiais conseguiram recuperar os materiais roubados.
Vândalos
Agência do Banco Itau foi alvo de vândalos (Foto: Reprodução/Câmera de trânsito da BHTrans)

Nenhum comentário:

Postar um comentário