Deputado Sargento Rodrigues reúne com o Comando Geral da Polícia Militar e entidades de classe


DSC03085O deputado Sargento Rodrigues e os presidentes das associações participaram da reunião com o alto comando da Polícia Militar de Minas Gerais, nesta segunda-feira, para esclarecer a atuação da polícia nas manifestações que ocorreram em Belo Horizonte nas última semana. A reunião foi realizada na Cidade Administrativa, no Comando Geral da Polícia Militar.
O Comandante Geral da Polícia Militar de Minas Gerais, Coronel Santana, explicou que a ordem de não chegar até o estádio do Mineirão, na região da Pampulha, onde estão acontecendo os jogos da Copa das Confederações, obedece uma exigência da FIFA que está respaldada na lei 12663/2012, lei geral da copa, aprovada pelo Congresso Nacional que exige o perímetro de segurança de 2km. Portanto, a Polícia Militar, em sua missão constitucional, está DSC03122cumprindo seu dever.
Durante a reunião, o deputado fez questão de enfatizar para o Comandante Geral da Polícia Militar, Coronel Santana e para o Chefe de Estado Maior, Coronel Brito, que para apurar a responsabilidade dos atos praticados por policiais no embate com os manifestantes, deve ser lembrado que toda e qualquer ação de policiais em controle de distúrbios civis nestes tipos de manifestações, estas ações sempre serão comandadas e portanto, a responsabilidade maior é de quem está a frente do comando da tropa.

De acordo com o deputado Sargento Rodrigues, é necessário esclarecer que a Polícia Militar como parte integrante da Administração Pública está cumprindo as determinações legais impostas, ou seja, a manutenção da ordem pública, o direito de ir e vir de qualquer cidadão, a segurança do patrimônio público e privado.O Ministério Público como fiscal da lei também deve se posicionar  como órgão da  Administração Pública na defesa da lei e da ordem.
Rodrigues afirmou que a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), tem o dever de defender os direitos e garantias fundamentais de qualquer cidadão,  tantos manifestantes, como policiais, que sofrerem ou forem vítimas de violência, devem ter seus direitos garantidos e respeitados.
O deputado lembrou ainda que a Ordem dos Advogados do Brasil, seção Minas Gerais, de iniciativa própria se colocou a disposição dos manifestantes para a defesa dos direitos e garantias fundamentais dos cidadãos que estão participando das manifestações populares. Diante da posição da OAB, o deputado Sargento Rodrigues e os Presidentes das entidades de classe presentes na reunião, disponibilizaram assessoria jurídica para defender os direitos e garantias fundamentais dos policiais. O deputado Sargento Rodrigues também disponibilizou sua  assessoria jurídica.
Sargento Rodrigues deixou claro que há por parte de toda tropa uma percepção dos desencontros e das vaidades entre o comando do Coronel Carvalho, do Comando de Policiamento Especializado (CPE) e da Coronel Cláudia Romualdo do Comando de Policiamento da Capital (CPC) e que estes comportamentos prejudicaram decisivamente a ação de comando no dia 17 de junho. O Comandante Geral da Polícia Militar de Minas Gerais, Coronel Santana, afirmou que este assunto está superado, pois o Chefe de Estado Maior, Coronel Brito, assumiu o comando da tropa, no dia 22 de junho e também assumirá na quarta-feira, dia 26.
Durante o encontro, o deputado cobrou as providências em relação aos policiais feridos. Segundo o Comandante Geral da PMMG, Coronel Santana, ao todo são 19 policiais, sendo dois baleados no município de Ribeirão das Neves. Está sendo dado todo apoio médico e inclusive odontológico e  o comando da polícia está acompanhando de perto a situação de cada um deles.
O deputado ainda solicitou informações sobre os equipamentos de proteção individual, o Comandante Geral, afirmou que mais equipamentos de proteção individual para as tropas já estão sendo providenciados, novos coletes e equipamentos para as tropas especializadas bem como para as outras unidades de apoio.
Sargento Rodrigues também solicitou ao Comandante Geral da Polícia Militar, Coronel Santana, que envie um comunicado pela intranet PM, esclarecendo que após passar a necessidade do emprego operacional dos policiais, haverá a compensação das horas trabalhadas no momento de calmaria, bem como outros esclarecimentos tratados durante a reunião.
Durante o encontro, o deputado, os comandantes e os presidentes das associações de classe entenderam que o movimento pacífico e ordeiro, bem como seus objetivos, estão sendo apoiados por todos, inclusive com a presença de vários familiares de policiais. No entanto, todos foram unanimes em discordar do vandalismo e da prática de crimes por uma minoria infiltrados no movimento.
De acordo com o deputado Sargento Rodrigues, este é um momento de união. “Nós, policiais e bombeiros militares de Minas Gerais temos que ter muito orgulho de nossas profissões. Neste momento, precisamos nos unir em defesa de nossos irmãos que estão por dever constitucional, na linha de frente. Estas manifestações estão cobrando é dos poderes constituídos da união, estados e municípios.  Nossa união neste momento é fundamental para que juntos com toda a sociedade sairemos mais fortes”, afirmou.
Rodrigues explicou que toda a sociedade precisa reconhecer que em Minas Gerais, a Polícia Militar é a única instituição presente em 853 municípios, mais de 200 distritos e que funciona 24 horas por dia combatendo crime assistindo, amparando, protegendo e socorrendo os mineiros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário