Fifa ameaça cancelar a Copa das Confederações

Protestos já geraram pedidos de delegações para deixar o Brasil
R7
A Copa das Confederações pode ser cancelada pela Fifa. Os protestos que se alastraram pelo Brasil nas últimas semanas já geraram reclamações de algumas delegações e a entidade máxima do futebol já estuda o que fazer, segundo informações da agência Reuters. Se não houver garantia de segurança, os cartolas podem cancelar o evento.
Segundo informações da rádio CBN, a Fifa já trabalha para ser compensada pelos prejuízos, caso a Copa das Confederações, evento-teste para a Copa do Mundo de 2014, com duração entre 15 e 30 de junho, seja cancelada.
Os rumores foram reforçados pelo jornalista Juca Kfouri. De acordo com ele, “no lado legal, há certa confiança da Fifa de que, se a competição for cancelada, o governo brasileiro pode ser processado pela falta de segurança”. Para ele, nem mesmo o Mundial do próximo ano está garantido.s protestos que reuniram mais de 1 milhão de pessoas na última quinta-feira (20) são voltados com os governos municipais, estaduais e o federal, nos quais os manifestantes pedem melhores serviços para a população, como saúde, educação e transporte público, e o fim da corrupção. Além disso, os gastos de mais de R$ 90 bilhões com a Copa de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, também são alvos da ira popular.
Já o jornal O Estado de São Paulo destacou que as delegações europeias estão sendo “persuadidas” a permanecer no Brasil pela Fifa. Jogadores e dirigentes da Itália teriam sido os primeiros a pedir para deixar o País, diante das notícias dos protestos e da violência em vários deles.
Muitas manifestações vêm acontecendo no entorno dos estádios da Copa das Confederações. O mais recente deles aconteceu em Salvador na quinta-feira. Nigéria e Uruguai se enfrentaram na Arena Fonte Nova, enquanto dois carros foram incendiados e houve confronto entre manifestantes e policiais do lado de fora do estádio.
Situações semelhantes de confrontos antes, durante ou depois de partidas da Copa das Confederações já foram registradas também no Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília e Fortaleza. Em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, integrantes das delegações estrangeiras disseram estar “apavorados” com a situação.
Outras situações também colocaram a segurança em solo brasileiro em xeque. O roubo sofrido por seis jogadores da Espanha em um hotel em Recife – informação confirmada pela Fifa – também gerou reclamação por parte de dirigentes da Fúria, que criticaram as condições da rede hoteleira e segurança.
Os jogos da terceira rodada da Copa das Confederações acontecem neste sábado (22). Em Salvador, Brasil e Itália decidem o primeiro lugar do grupo A, enquanto México e Japão terminam a sua participação em Belo Horizonte.
Presidente da Fifa surpreendeu ao deixar o País
Depois das vaias recebidas logo na abertura do torneio, em Brasília, o presidente da Fifa, Joseph Blatter preferiu não permanecer no Brasil e viajou para Turquia na última quarta-feira (19). Lá acontece o um torneio sub-20, e o cartola da entidade preferiu não acompanhar de perto a situação política brasileira, mas promete voltar para as partidas finais da competição, na próxima semana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário