Justiça autoriza e delegado suspeito de balear adolescente deve comparecer a audiência

O corregedor-geral da Justiça, desembargador Luiz Audebert Delage Filho, aceitou o pedido dos deputados estaduais e autorizou a presença do delegado na próxima segunda-feira
Delegado segue preso na Casa de Custódia do Policial Civil, no Bairro Horto (Reprodução Facebook)
Delegado segue preso na Casa de
Custódia do Policial Civil, no Bairro Horto
Do Estado de Minas
O delegado Geraldo Toledo, suspeito de ter disparado o tiro que matou a adolescente Amanda Linhares dos Santos, de 17 anos, vai ter a oportunidade de se defender das acusações. O corregedor-geral da Justiça, o desembargador Luiz Audebert Delage Filho, autorizou a presença do policial em uma audiência pública na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), que vai discutir o caso na próxima segunda-feira. A Justiça já havia negado por duas vezes o pedido da Comissão de Direitos Humanos. Nesta quarta-feira, a ex-namorada de Toledo foi enterrada no Cemitério Nossa Senhora da Conceição, em Conselheiro Lafaiete, Região Central de Minas Gerais. Para o deputado Durval Ângelo (PT), a presença do delegado será importante para esclarecer o homicídio. “Acho que primeiro o Toledo vai poder dar a sua versão do crime. Ele não se diz inocente, então vai ser a hora de ele esclarecer os fatos e apresentar a sua defesa. Também poderemos questioná-lo sobre os outros processos administrativos aos quais responde”, afirma o deputado. 


A presença do policial também foi confirmada pelo corregedor-geral da Polícia Civil, Renato Patrício Teixeira, que enviou ofício à Comissão de Direitos Humanos da Assembleia nessa terça-feira, autorizando Geraldo Toledo a comparecer à audiência. Nenhum advogado do delegado foi encontrado para comentar o assunto. 

Em 9 de maio, a Comissão de Direitos Humanos realizou uma audiência em que o deputado Durval Ângelo leu uma carta de Geraldo Toledo. Nela, o policial afirma que era alvo de perseguição por desafetos na polícia. No documento, ele também contou como conheceu a adolescente, dizendo que ela seria uma pessoa problemática. 

Parentes e amigos da adolescente prestaram as últimas homenagens à ela nesta manhã (Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)
Parentes e amigos da adolescente prestaram as últimas homenagens à ela nesta manhã
Família cobra punição 

O corpo de Amanda foi enterrado na manhã desta quarta-feira em Conselheiro Lafaiete, Região Central de Minas Gerais, cidade onde mora parte da família dela. A jovem morreu na noite de segunda-feira, após 51 dias internada por causa de um tiro na cabeça. Os familiares, muito emocionados, prometeram acompanhar o caso para que o policial não fique impune como em outros processos que respondeu na Justiça. 

Uma prima de Amanda disse que a família alimentava a esperança de que ela fosse se recuperar, mas a jovem teve febre e sofreu uma parada cardíaca. Segundo a prima, a morte pegou todo mundo de surpresa, pois estavam esperando a saída dela do Hospital João XXIII, em Belo Horizonte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário