PM mata colega à paisana que tentava conter assalto em Taguatinga

O cabo da Rotam à paisana teria tentado conter um assalto a um ônibus na avenida Hélio Prates, na altura da QNL 30, Taguatinga
Legistas fazem perícia no local do assassinato do cabo Osmar, em Taguatinga (Lula Lopes/Esp.CB/D.A Press)
Legistas fazem perícia no local do
assassinato do cabo Osmar, em Taguatinga

Do estado de Minas
Um policial militar (PM) do Batalhão da Rotam à paisana foi morto por um outro policial militar na noite dessa quarta-feira (5/6). O cabo Osmar Catarino Júnior teria tentado conter um assalto a um ônibus na avenida Hélio Prates, em Taguatinga.

De acordo com o cobrador do coletivo, quando o ônibus parou próximo à QNL 30 para deixar passageiros, um homem entrou, anunciou o assalto e mandou o motorista seguir. O carro de Catarino teria fechado o ônibus para conter o assalto. Testemunhas indicaram que uma equipe da Rotam chegou ao local e atirou no PM nas costas por engano. Catarino chegou a ser levado para o Hospital Regional de Ceilândia (HRC), mas não resistiu aos ferimentos.
O caso é investigado pela Corregedoria da PM. Em nota, a corporação informou que "todo o apoio foi e está sendo dado aos familiares pelo comando da PMDF do Departamento Operacional e do Batalhão de Rotam, bem como por inúmeros companheiros que estiveram no HRC".

Estudantes baleados
Em abril, a PM afastou três policiais que mataram por um engano um estudante em Ceilândia. José Chaves Alves Pereira, 27 anos, estava no banco do passageiro de um Fiat Uno vermelho, quando foi baleado na cabeça. Segundo as investigações, os PMs teriam confundido o carro com um um outro da mesma cor e do mesmo modelo, que foi roubado durante um sequestro relâmpago.


Nenhum comentário:

Postar um comentário