Sargento é preso por suspeita de matar médico em perseguição a assaltantes

Testemunhas afirmam que bandidos não dispararam durante a fuga
Dermatologista estava de plantão no momento do crime
Um tenente da Polícia Militar foi detido por sersuspeito de matar um médico durante uma perseguição a assaltantes em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, na madrugada de quinta-feira (18). O militar, que não teve o nome divulgado, foi recolhido ao Batalhão enquanto as investigações não forem concluídas.

O médico Marcos Vinícius Galante, 52 anos, estava de plantão quando ouviu a explosão de caixas eletrônicos na na avenida Fernando Vilela, no bairro Martins. Ao sair do hospital, foi atingido por um tiro de fuzil no peito, segundo a perícia. Ele morreu ao ser socorrido.

A PM havia divulgado que o médico foi atingido durante uma troca de tiros entre assaltantes e policiais, mas testemunhas e imagens do circuito de segurança do banco teriam desmentido a versão. Somente o militar teria usado arma de fogo durante a ocorrência. Nove tiros foram ouvidos.

O comandante Dilmar Crovato afirma que o caso segue para o Tribunal de Justiça Militar.

— Nos baseamos na materialidade científica e objetiva. Testemunhas foram localizadas e entrevistadas. Confirmada a participação, responderá pelo crime de homicídio e caberá à Justiça se ele vai à júri ou não.

O comandante-geral da PM, Marcio Sant´Anna, e o secretário de Defesa Social, Rômulo Ferraz, foram a Uberlândia acompanhar o início das investigações.

— Todo homicídio é um crime que de fato nos choca e nos preocupa. É a prioridade do sistema público a prevenção e repressão ao homicídio.

O corpo foi velado em Uberlândia e levado para o interior de São Paulo para o sepultamento. Amigos lamentavam a morte do dermatologista, como o contador Sandro Gomes.

— Conheço ele há algum tempo. É uma pessoa muito digna, muito boa, solidária. Tanto como profissional mas como amigo também.

R7

Nenhum comentário:

Postar um comentário