Sequestro na PUC coloca segurança em xeque

Direção de campus onde universitário foi sequestrado promete reforçar vigilância

Armado, criminoso carrega compras pagas por universitário sequestrado (de mangas compridas) / Reprodução TV Band Minas
A prisão de um suspeito de sequestrar um universitário no momento em que chegava à PUC Minas, no bairro Coração Eucarístico, coloca novamente a segurança das universidades de Belo Horizonte em xeque. Há cerca de dois meses, a UFMG teve o sistema de vigilância questionado após um grupo de 14 pessoas ser feito refém dentro do campus Pampulha.

A reitoria da PUC anunciou que vai investir na modernização das 24 câmeras de segurança existentes no campus Coração Eucarístico, além de aumentar o número de equipamentos. O investimento exato, no entanto, não foi revelado pela direção da universidade.

Outra medida que visa frear a violência na região é a distribuição, no início do próximo mês, de 40 mil folhetos com dicas sobre segurança para os cerca de 25 mil alunos. “O problema de segurança não é só no campus ou no entorno dele, é um problema em todo o país”, contemporiza o pró-reitor de Logística e Infraestrutura da PUC Minas, Rômulo Albertini Rigueira.

Sequestro

No início deste mês, já no período de férias da PUC, um estudante de 25 anos foi abordado por dois homens quando chegava à universidade. Ele foi feito refém pela dupla, que estava armada, e foi obrigado a fazer compras em um shopping do Barreiro. Em um determinado momento, houve luta entre a vítima e um dos ladrões e um disparo foi feito dentro do carro. “Ele não foi baleado, mas sofreu grande lesão psicológica”, diz o delegado do caso Rodrigo Damiano.

Fonte: TV Bandeirantes

Nenhum comentário:

Postar um comentário