Bolsonaro incita policiais a processar autor de charge

Desenhos


Cartunista tem outros desenhos sobre ação policial. Charge que motivou ação de Bolsonaro



Rio de Janeiro. O deputado estadual Flávio Bolsonaro (PP-RJ) divulgou, em seu site oficial, um modelo de ação indenizatória para os policiais militares do Rio que, eventualmente, se sentirem ofendidos com uma gravura do cartunista Carlos Latuff. A imagem – um policial fardado atirando contra um homem negro crucificado – foi afixada na parede do gabinete do juiz João Batista Damasceno, da 1ª Vara de Órfãos e Sucessões do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ).O deputado reclama que a charge estava no local durante uma audiência pública realizada “sob o pretexto da desmilitarização da política de segurança”. Para ele, a imagem “retrata uma cena de cunho difamatório não somente à instituição”, em referência à Polícia Militar, “mas, inclusive, à sua própria honra objetiva e subjetiva”.
O parlamentar, que é filho do deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ), sugere que a ação indenizatória seja protocolada contra artista e magistrado. Ele também enviou à presidente do TJ, a desembargadora Leila Mariano, um pedido para que a obra seja retirada do gabinete. Na petição, o deputado propõe ainda que, caso sejam condenados, os réus devem pagar indenizações de R$ 28 mil.
Ameaças. O Tribunal de Justiça afirmou que o caso será levado à Sessão Especial, na segunda-feira, quando será discutida a permanência ou não do quadro.
Em sua página no Facebook, Latuff defendeu a livre exibição da charge e relatou supostas ameaças que teriam sido feitas por PMs, também na rede social, contra Damasceno. “Juiz João Batista Damasceno já recebe ameaças de morte por pendurar quadro com minha charge sobre a violência policial em seu gabinete”, escreveu ele.
Já o magistrado, em artigo publicado ontem em “O Dia”, afirmou que “a obra do cartunista... evoca a violência do Estado contra o povo ao longo da história”.
Fonte:OtempoOnline

Nenhum comentário:

Postar um comentário