Projeto prevê punição rigorosa para uso ilegal de vaga especial

Capital tem 0,97% de suas vagas reservadas para deficientes e idosos

Irregularidade
Única credencial apresentada por suplente para estaciona
r em vaga de deficiente é adesivo de associação nacional
 de vereadores
Das mais de 91 mil vagas de estacionamento rotativo demarcadas nas ruas de Belo Horizonte, 887 são reservadas a pessoas com deficiência e idosos. O tímido percentual de 0,97%, aliado à falta de educação e desrespeito à lei do restante dos motoristas, dificulta a vida de quem tem algum tipo de dificuldade de locomoção. Para tentar minimizar o problema, ao menos nos espaços públicos, o Senado aprovou, na última semana, um projeto de lei que prevê punições mais rigorosas a quem estacionar irregularmente.De janeiro a junho, a Guarda Municipal aplicou 1.175 multas na capital por estacionamento em vagas para deficientes. No caso dos idosos, foram 244. Em 2012, foram 3.185 e 416 autuações, respectivamente. Segundo o Censo 2010, Belo Horizonte tinha 550.997 moradores com algum tipo de deficiência (23% da população). No caso dos idosos, eram 299 mil.
A proposta para alterar o Código Brasileiro de Trânsito prevê que esse tipo de infração passará a ser grave, e a multa subirá de R$ 53,20 para R$ 127,69. O infrator ainda será penalizado com cinco pontos na carteira de habilitação, contra os atuais três pontos. O veículo será rebocado.
Necessidade. Cadeirante desde criança, o atleta paralimpico José Matias Abreu, 25, dirige um carro adaptado há três anos. Ele diz que é comum o desrespeito às vagas de deficientes. “Perto de supermercados e shoppings, é impossível estacionar. Outro problema são as áreas perto de motos porque elas avançam no espaço para deficientes. Eu acabo tendo que pagar estacionamento particular”, conta Abreu, que já chamou a polícia para usar uma vaga especial.
Fonte:Otempoonline

Nenhum comentário:

Postar um comentário