Ex-policiais acusados de duplo homicídio no Aglomerado da Serra vão a júri popular

Policiais_Serra_Arquivo Hoje em Dia
Ex-policiais serão julgados por duplo homicídio no
 Aglomerado da Serra na próxima terça-feira (18)
Está previsto para a próxima terça-feira (18), o júri popular dos ex-policiais acusados da morte de dois moradores do Aglomerado da Serra, região Centro-Sul de Belo Horizonte, em fevereiro de 2011. Jonas David Rosa, Jason Ferreira Paschoalino e um terceiro militar já morto teriam atirado em Renilson Veriano da Silva, de 39 anos, e em seu sobrinho, Jeferson Coelho da Silva, de 17. Segundo o Ministério Público, o crime foi praticado sem causa aparente e utilizando recursos que impossibilitaram a defesa das vítimas.
 
A sessão será realizada no 1º Tribunal do Júri do Fórum Lafayette, no Barro Preto, região Centro-Sul de BH, e será presidida pelo juiz Carlos Henrique Perpétuo Braga. A previsão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) é que sejam ouvidas 17 testemunhas, sendo cinco de acusação e 12 de defesa. Além disso, outras 24 testemunhas e os dois acusados já foram ouvidos durante a fase de instrução.
 
O julgamento já tinha sido marcado para dezembro do ano passado, mas foi adiado porque os advogados de defesa dos réus incluíram novos documentos no processo. O objetivo seria comprovar que as vítimas tinham envolvimento com o tráfico de drogas e reforçar a tese de que os policiais agiram em legítima defesa. Segundo o TJMG, o promotor Christiano Leonardo Gonzaga Gomes solicitou a realização de perícia técnica para comprovar a veracidade do material anexado pela defesa. 
 
Os ex-policiais foram indiciados em outubro de 2011 e respondem por homicídio duplamente qualificado e por posse irregular de dois revólveres com numeração raspada. Eles estão presos na penitenciária São Joaquim de Bicas I, na Grande BH, para onde foram transferidos no dia 23 de outubro de 2013. Até então, os militares estavam reclusos em batalhões da Polícia Militar (PM). Contudo, como foram expulsos da corporação, no dia 15 do mesmo mês, eles perderam o benefício de prisão especial.
 
Entenda o caso
No dia 19 de fevereiro de 2011, os policiais Jonas David Rosa, Jason Ferreira Paschoalino e um terceiro militar entraram no Aglomerado da Serra em uma ação de combate ao tráfico de drogas. Após tiroteio, o auxiliar de enfermagem Renilson Veriano da Silva, de 39 anos, e o adolescente Jeferson Coelho da Silva, de 17, que são tio e sobrinho, acabaram sendo mortos a tiros. Na ocasião, um policial também ficou ferido.
 
Testemunhas teriam dito que os policiais acusados chegaram atirando e depois simularam um tiroteio. A versão é contestada pelos militares, que alegam ter sido recebidos a tiros. Na época, houve grande comoção pública dos moradores da região, que chegaram a colocar fogo em dois ônibus, entre várias outras manifestações.
 
Outro crime
Em agosto de 2013, Jason Ferreira Paschoalino foi condenado a 12 anos de prisão pelo homicídio de um forneiro, em julho de 2010, no bairro Nova Suíça, região Oeste de BH. Ficou estabelecido na sentença que ele cumpriria a pena inicialmente em regime fechado. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário