Advogado vai para Brasília solicitar soltura de Prisco na Justiça Federal

Equipe jurídica chegou à capital federal na manhã deste sábado (19). Líder da greve da PM está preso desde a tarde de sexta-feira (18).

Marco Prisco (Foto: Imagem/ TV Bahia)
Marco Prisco está preso no Complexo da Papuda,
em Brasília(Foto: Imagem/ TV Bahia)
A equipe jurídica da Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares no Estado (Aspra), como também o tenente-coronel Edmílson Tavares, presidente da associação de militares Força Invicta, deixaram Salvador na manhã deste sábado (19), rumo a Brasília, onde devem entrar com pedido de habeas corpus solicitando a soltura do vereador e líder greve da Polícia Militar na Bahia, Marco Prisco, preso pela Polícia Federal na tarde de sexta-feira (19). A equipe saiu da capital baiana, por volta das 6h30, e chegou à capital federal às 9h.

Segundo o advogado de Prisco, Vivaldo Amaral, o pedido será protocolado no Tribunal Regional Federal (TRF-1). Ele conta que o pedido não foi feito via internet, em Salvador, porque o sistema de solicitação eletrônica da Justiça Federal estava inoperante desde a tarde de sexta. No documento que será apresentado ao TRF, o advogado detalha que a equipe jurídica solicita "que o Tribunal reveja e anule a decisão do juiz que decretou a prisão".

Conforme Vivaldo Amaral, a prisão foi totalmente descabida, já que a greve já tinha sido encerrada. "Ele estava com os três filhos e esposa no carro quando foi abordado. Os policiais (federais) pararam o veículo com armas em punho. Totalmente desnecessário", relatou. O advogado ainda conta que Prisco está "um pouco depressivo, mas confiante de que a Justiça será feita".

Vivaldo Amaral ainda relata que, a pedido de Prisco, percorreu diversas unidades da Polícia Militar na madrugada deste sábado (19), solicitando que os policias aquartelados retornassem aos trabalhos. ""Todos os policiais que querem ajudar Prisco devem voiltar os trabalhos", concluiu.

Segundo o presidente da associação de militares Força Invicta, o tenente-coronel Edmílson Tavares, a equipe que chegou à Brasília ainda não tem data definida para deixar a capital federal.

Prisão
Apontado como o líder da greve da Polícia Militar na Bahia, o vereador Marco Prisco (PSDB) foi preso na tarde de sexta-feira (18) em um resort em Costa de Sauípe, no Litoral Norte do estado, segundo informações do Ministério Público Federal (MPF).

A prisão preventiva foi determinada pela Justiça Federal na terça-feira (15), informou o MPF, que fez o pedido nesta segunda. Segundo a decisão da 17ª Vara Federal, a prisão é baseada nos artigos 311 a 313 do Código de Processo Penal, visando a "garantia da ordem pública", e deverá ser cumprida por 90 dias "em estabelecimento de segurança máxima".

O MPF afirma que ele somente pode recorrer ao Supremo Tribunal Federal. O pedido faz parte de uma ação penal contra sete acusados por diversos crimes na greve de 2012, que foram denunciados no ano passado.
A Polícia Federal informou em nota que a prisão ocorreu em Costa do Sauípe, com apoio da Polícia Rodoviária Federal e da Aeronáutica. Segundo a PF, ele chegou em Brasília por volta das 20h, onde deve permanecer no Presídio Federal de Brasília (Complexo da Papuda).

Prisco é vereador e diretor-geral da Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares no Estado da Bahia (Aspra). A greve da Polícia Militar da Bahia teve início na terça-feira e foi encerrada na tarde de quinta-feira (17). Segundo a Secretaria de Segurança, foram registrados 59 homicídios em Salvador e região metropolitana durante a paralisação, 156 carros roubados e seis furtados.(G1)

Nenhum comentário:

Postar um comentário