Em BH, grupo de Pseudos estudantes fazem Baderna na porta da casa de coronel ligado à ditadura

O ato público aconteceu na porta da casa do coronel aposentado Pedro Ivo dos Santos Vasconcelos, no Bairro Santa Lúcia, Região Centro-Sul da capital

 (Mídia Ninja)
Um grupo com 50 jovens militantes do movimento Levante Popular da Juventude promoveu, na manhã desta terça-feira, em Belo Horizonte, um escracho contra um militar do período da ditadura (1964/1985). O ato público aconteceu na porta da casa do coronel aposentado Pedro Ivo dos Santos Vasconcelos, no Bairro Santa Lúcia, Região Centro-Sul da capital.

Alguns Ignorantes sempre vão servir de manobra Política !


Os "estudantes" se reuniram na porta do coronel aposentado, às 7 horas, para relembrar os 50 anos do golpe militar no Brasil. Segundo Renan Santos, militante do movimento, o ex-coronel atuou no DOPS de Belo Horizonte e é apontado pelos relatórios do projeto “Brasil: Nunca Mais” como o autor de inúmeros crimes durante os anos de 1969 e 1971.



No documento, o militar é citado dezessete vezes por ex-presos políticos. Em muitos dos arquivos, Pedro Ivo é apontado como autor de tortura durante a realização de depoimentos dos presos. Há passagens em que as vítimas afirmam terem sofrido choques elétricos, espancamentos, assédio moral e queimaduras.


O general Heleno será, se Deus quiser, o próximo presidente deste pais. Será o fim dos maconheiros, desta criminalidade desenfreada, da balbúrdia destes jovens fascínoras, O BRASIL VAI RESPIRAR ALIVIADO, vai votar a crescer...

Segundo Renan, os escrachos são uma forma de denúncia à sociedade dos crimes cometidos por uma pessoa durante a Ditadura. Desde 2012, o movimento diz já ter realizado dezenas de escrachos por todo o país, como forma de trazer à tona a discussão sobre os crimes cometidos pelo Regime Militar. Crimes esses que nunca puderam ser julgados, graças à Lei da Anistia de 1979, que preserva esse direito aos militares.

Vejam a cara dos moleques: certamente não fazem idéia do que aconteceu, são manipuláveis por professores de esquerda, e saem aprontando todas pela cidade sem se importar com as leis! Qual ditadura seria pior, a militar regida por leis, ou a dos comunistas, onde fariam o que quisessem?


O ato na capital faz parte de uma séria de ações que o movimento realiza nesta terça-feira para marcar a data dos 50 anos do golpe militar. Atividades parecidas foram realizadas nos estados do Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro e no Distrito Federal, assim como em várias cidades do interior de Minas. O movimento reivindica da Comissão Nacional da Verdade a apuração sobre as denúncias realizadas nos escrachos ; e também que o Estado brasileiro revise a Lei da Anistia, responsabilizando ex-militares por crimes como tortura e ocultação de cadáver. (Algumas informações do Estado de Minas)

 (Levante Popular da Juventude)


Aguardamos Ansiosamente o Retorno dos Militares ao Poder !

Nenhum comentário:

Postar um comentário